Edebrande Cavalieri
A escrita é a salvação do espírito, da alma e do corpo.
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato
18/09/2021 18h58
A tentação diária

Ao entrar no Recanto das Letras vou descobrindo aos poucos um mundo tão amplo e lindo a ser desbravado. E o meu grande desejo é compartilhar o que penso publicando nos vários ambientes ou cantinhos do recanto.

Não tenho a pretensão de me transformar em nenhum grande escritor assim como tantas pessoas que me visitam e compartilham também suas palavras. Isso é maravilhoso.

Tem hora que vem ideias em borbotões, mas é preciso conter o ímpeto para não ficar falando tantas bobagens. Cheguei a um momento da vida que me desfiz da ideia de ser uma voz da verdade, apenas uma voz de verdade. Sim! Cada um de nós nesse recanto é verdadeiro. Não somos de mentira. As tentativas de dissimulação resultam quase sempre em descrédito. E o que tenho apreciado muito é que parece não haver nenhum tribunal do santo ofício para condenar pessoas à fogueira como na era da inquisição. Ou há?

Os visitantes que chegaram a mim são pessoas de alto reconhecimento humano. Palavras ditas e nenhum maldita. Que coisa bacana! Avisei na capa que não gostaria de receber nenhuma visita inoportuna que me fizesse mal. Acho que esse parece ser o caminho. Feliz.

Permanecerei com a tentação de escrever todo dia, especialmente no diário que é o lugar para isso.

Bom final de semana a todos os visitantes de minha vida.

Publicado por Edebrande Cavalieri
em 18/09/2021 às 18h58
 
17/09/2021 09h43
Aos visitantes

Caro visitante!

Em primeiro lugar saiba que o considero de maneira especial por entrar nesse espaço tão íntimo. Ninguém entraria na intimidade de outra pessoa para fazer o mal e se o fizer para isso, peço-lhe que se afaste de mim. Não perca seu tempo comigo! Somente os maus se alimentam da maldade e isso não é o meu caso.

Em segundo lugar, foi durante a pandemia que a escrita chegou até mim oferecendo uma mãozinha para me ajudar na travessia. Era e é muito duro. Nunca imaginei que o distanciamento de corpos nos tocasse de maneira tão profunda. E nessa caminhada que nunca parece terminar, a escrita se mostrou a mim como remédio. A escrita salva não apenas a alma, mas o espírito e o corpo.

E assim nesse espaço estarei disponibilizando a você que veio me visitar um pouco da minha cura, um pouco de mim, ainda vivo, ainda amando. Espero que não sinto nenhum amargor nas letras e se o sentir, saiba que também os remédios amargos são feitos para cura.

Em terceiro e último lugar, procurei a fonte de escrita do aprendizado em caligafia, pois foi com ela que me encontrei pela primeira vez com minha companheira, mas essa disponibilidade não está disponível aqui. A escrita e a linguagem são o modo de ampliação de nossa visão de mundo. Como vida explode para o mundo nas letras! E nesse cantinho das letras nos encontramos. É nesse caminho que espero estar com você, lado a lado. Ate o silêncio nas letras se faz linguagem, se faz palavas. Por isso, nos constituimos como pessoas. Fica um tempinho aqui! Sem pressa. Mas, mesmo que seja só para um cafezinho sua presença é uma dádiva. Que os céus o recompense!

Um forte abraço

Edebrande

Publicado por Edebrande Cavalieri
em 17/09/2021 às 09h43
 
04/09/2021 17h22
O prazer de viajar

Como me faz tão bem pegar o carro e sair para algum lugar não muito longe. Sem pressa. Sem estresse. Sem fome. Sem sede.

 

Para viajar basta uma disposição e algum dinheiro.

Dinheiro? Muita gente acha que precisa de muito. 

Relativo. Tem gente que consome num bar a cada final de semana uma quantia que daria para viajar todo mês.  O prazer da bebida nem se compara com o da viagem.

Na viagem a vida perde sua rotina, tantas vezes chata.

Na viagem nossos olhos veem o que não está na rotina diária. 

Somos forçados ao consumo e mesmo o prazer precisa ser com consumo.

Não! O prazer nos embriaga com outras coisas.

Por que não consumimos o prazer sempre foi taxado como imoral ou pecado.

Vamos nos embriagar viajando? É feriadão!

Publicado por Edebrande Cavalieri
em 04/09/2021 às 17h22
 
03/09/2021 18h56
Diante do setembro amarelo

Entre as flores dos ipês marcando as matas e nossas ruas, e a campanha de prevenção ao suicídio esse mês se inicia politicamente tenso. Quando uma data passa a ser objeto de disputa de poder em vez de celebração da paz isso denota a doença pandêmica em que nos metemos.



Não há saída para o caminho irracional como se defende na sociedade. As luzes da razão da época do iluminismo estão fazendo muita falta.



Pobre iluminismo! Foi negado e condenado como comunismo. A ignorância toma conta de grande parcela da população.



Mas as mortes por suicídio não devem ser esquecidas. Tantas pessoas sofrem muito além dos poblemas ideológicos entre esquerda e direita.



O suicídio nunca foi saída e nem postura de coragem. O suicídio decorre do adoecimento de nossa sociedade. Perdemos a alegria de viver. O mundo se tornou cinzendo, sem graça. Puramente sem sentido. 



Ou nos juntamos, ou nos destruímos como sociedade!


Publicado por Edebrande Cavalieri
em 03/09/2021 às 18h56
Página 2 de 2
1 2